Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2008

Cartões de Natal (clica no título para veres as mensagens de Natal)

Recebemos na nossa biblioteca estas mensagens de Natal que queremos partilhar convosco. Quanto a nós, deixamo-vos votos de um Feliz Natal e esperamos que no vosso sapatinho estejam boas leituras! A Equipa da BE

As Caras da Mãe

Imagem
Chegou à nossa BE o livro As Caras da Mãe , de Rita Ferro, com ilustrações de Luís Leal. Na contracapa lê-se: "As crianças, os próprios bebés, sabem por instinto interpretar a fisionomia dos pais. O olhar, a expressão da cara da mãe, a par da voz e do contacto físico, são as promeiras mensagens que conseguem decifrar. Quando nascem não sabem o significado dos sons e das palavras que ouvem, mas dirigem o olhar para a cara dos que lhe estão próximos na tentativa de perceber o que se passa (...)".

Um sonho bonito

Era uma vez uma rapariga, chamada Luna, de doze anos que vivia em África perto de uma savana, numa aldeia muito pobre chamada Zamburgo. Essa menina não tinha uma escola para aprender, não havia luz para poder ter um computador, televisão, jogos ou telemóvel. Vivia numa casa muito pobre e tinha quatro irmãos, eram eles os únicos meninos da aldeia. Luna, quando se ia deitar sonhava sempre em ter uma casa grande cheia de coisas bonitas, poder viajar e conhecer outros meninos. Quando acordava, ficava triste por continuar a viver naquela aldeia. Até que um dia, um senhor chamado Josué que era cego, percebeu que ela estava triste porque não ouvia o seu riso pelas ruas. Então chamou-a para lhe perguntar porque é que ela estava triste. Luna contou-lhe o que se passava todas as noites. Josué pegou-lhe na mão e foram dar um passeio e pelo caminho, o senhor de oitenta anos ia falando com ela. Disse-lhe que quando ele era pequeno, também teve esse sonho, mas ao longo do tempo foi percebendo,

Um Mundo Bonito - Um título, tantos textos diferentes!

Estava um dia lindo e eu fui passear o meu cão. Ia quase chegando à minha porta, quando apareceu uma nave espacial. Saiu lá de dentro uma criatura verde, com olhos laranja e duas antenas na cabeça, veio cá abaixo buscar-me e meteu-me lá dentro. A nave era espectacular, tinha quartos, casa-de-banho, cozinha e até um campo de jogos. Eu estava muito assustada, para onde é que aquelas criaturas me iriam levar? Levei três horas de viagem e depois cheguei a um sítio lindo. Parecia um Mundo fantástico, onde o sol brilhava muito, mas só quando desci da nave, percebi que estava mesmo num Mundo maravilhoso. Depois, fomos para uma casa gigantesca, era mesmo grande e muito bonita! Chegou a noite, dormimos numa cama em separado e, de manhã, fomos passear para um jardim que tinha flores coloridas, pássaros amarelos, árvores verdinhas e dois baloiços de madeira. Estava no Mundo mais bonito de sempre, onde o ar era muito puro e fresco. Após alguns minutos, chegou outra nave e sabem quem vinha

O Rei Encantado

Era uma vez um rei que vivia num castelo um pouco pobre, tinha falta de empregados e a mobília era velha. Um dia, foi dar um passeio pela floresta, no seu cavalo branco e no caminho encontrou uma velha encarquilhada que lhe disse: - Olá, meu caro, parece-me cansado, mas posso ajudá-lo. Tenho aqui uma água bem fresquinha que acabei de tirar do poço. O rei, com a sede que tinha, aceitou a água da mulher e agradecendo, disse: -Oh! Como precisava, muito obrigada, mas agora tenho de ir, vou fazer uma festa no meu castelo, se quiser ir, está convidada. E o rei despedindo-se, foi-se embora. Quando chegou, começou a fazer os preparativos. Os convidados chegaram passado um bocadinho. A velha foi a última a chegar, mas assim que ela entrou, o rei começou a dar pulos em cima da mesa e a atirar comida aos convidados. Na verdade, a mulher era uma bruxa disfarçada, que envenenou o rei, metendo um líquido dentro da água que ele tinha bebido. Ele, ao aperceber-se que tinha sido engana

O PRÍNCIPE CHORÃO - Um título, diferentes versões

Há muito, muito tempo num reino muito distante, aconteceu uma coisa muito esquisita. Neste reino existia um lindo castelo onde morava o rei, a rainha, o irmão do rei que tinha inveja do seu irmão porque queria ser ele o monarca e todos os empregados necessários ao rei. Certo dia, ao pequeno-almoço, o rei demonstrava uma alegria enorme e, como a família real estava toda reunida à mesa, decidiu dar a novidade que a rainha estava à espera de filho. O irmão do rei não ficou nada satisfeito com a notícia e foi apressadamente ter com a sua amiga Mádá que era uma fada má, para preparar um feitiço para ser lançado no dia do nascimento do sobrinho. Passaram-se nove meses e chegou a hora do nascimento do pequeno príncipe. Ao fim de um mês do nascimento do príncipe, o rei e a rainha decidiram então fazer uma festa para mostrar o seu filho varão ao povo. Foi nessa altura que a fada má lançou o feitiço ao pequeno príncipe:”Com o poder do vento, com o poder do mar, vais passar a vida toda a chorar…”

O Pai Natal e a sua amiga

Era uma vez uma menina muito pequenina que vivia num Orfanato de freiras que era muito rigoroso. Todos os anos, as crianças desse Orfanato iam passar o Natal a casa de famílias de acolhimento, ou eram mesmo adoptadas. Mas essa menina nunca era escolhida para passar o Natal com famílias de acolhimento e ficava sempre sozinha no Orfanato com algumas freiras que às oito horas da noite, já estavam a dormir e que nem lhe davam presentes. Mas ela tinha um segredo, um segredo muito importante. Todas as noites de Natal encontrava-se com um velho de barbas brancas, gordo, com um casaco vermelho e na cabeça um barrete vermelho com uma borla branca, que descia pela chaminé. Mal o velho descia a chaminé, começava a falar com a menina e perguntava-lhe: - Então minha menina, este ano não quiseste passar a noite de Natal com uma família de acolhimento? - Eu quero, quero, só que ninguém me escolhe! Todos os anos é assim, já estou habituada! - Mas não fiques triste tens de ter fé e… - E é

O Natal Ideal

O Natal Ideal para mim, seria uma viagem pela Europa, com toda a minha família mais próxima. A minha viagem, iria começar do Norte para o Sul da Europa. Pois no Norte da Europa, há muita neve, e está quase sempre a nevar. Isso é algo que eu quase nunca vejo, porque vivo no Sul da Europa. O primeiro país que eu iria visitar, seria Moscovo, pois lá faz muito frio e neva. Assim poderia fazer muitos bonecos de neve. Os adereços que iria utilizar no boneco de neve eram: uns ramos de árvore para fazer de braços; uma cenoura fina para fazer de nariz, uns botões, um cachimbo, um chapéu e um cachecol. Depois de Moscovo, iria para uma das maiores estâncias de esqui da Europa: Andorra! Iria aprender a fazer esqui e snowboard. Quando aprendesse a esquiar e a fazer snowboard, iria apanhar o avião para Paris, para ir há DisneyLand Resort. Em Paris iria ficar instalada num hotel dentro da DisneyLand Resort, para ficar ma

O mundo bonito

Ao acordarmos pela manhã, abrimos a janela do nosso quarto e ouvimos os passarinhos a cantar nos ramos das árvores. Inspiramos fundo e depressa vem aquele cheiro das flores dos campos que entra por nós e pela nossa casa que nos dá a tranquilidade de que o ambiente respira saúde. Saio de casa encontro os meus amigos e grito-lhes “olá”!!!!, que bom que nos encontramos, que bom que existem pessoas à nossa volta que nos trazem amizade, paz, segurança e sobretudo confiança. Nas ruas e nos campos os animais circulam tranquilos sem receio de que as suas vidas entrem em perigo. Um mundo assim, cheio de perfume de amor e respirando saúde. É um mundo bonito. Marta Carrilho- 6ºA

As minhas melhores amigas

As minhas melhores amigas são todas as minhas colegas que me ajudam, quando eu preciso. As minhas melhores amigas são divertidas e brincalhonas, adoramos passear e ir lanchar fora. As minhas melhores amigas gostam de mim e eu fico orgulhosa de mim mesma, de ter amigas como elas. Nas minhas melhores amigas também está incluída a minha irmã que se chama Beatriz. Mariana. F 6º A

A substituição do Pai Natal

A nossa história começa com uma notícia muito triste que chega à casa do Pai Natal, que é a seguinte: " Por motivos de velhice, o actual Pai Natal tem que escolher um dos seus ajudantes para ser o novo Pai Natal." O Pai Natal, mal viu esta notícia, caiu estupefacto no seu grande cadeirão de repouso, e disse com um tom se voz que se ouviu no Pólo Norte inteiro: - Mãe Natal e rena Rodolfo! Venham ter comigo imediatamente! A Mãe Natal veio a correr com medo que estivesse acontecido alguma coisa, pois o Pai Natal não tem muito o hábito de gritar sem razão nenhuma. A rena Rodolfo veio com toda a sua calma, pois não se podia cansar muito porque a noite de Natal já estava a chegar e ela nessa noite tinham de correr muito, para entregar com o Pai Natal todos os presentes a horas. Quando a Mãe Natal e a rena Rodolfo chegaram à sala onde estava o Pai Natal, este estava a chorar muito e a sala parecia já mais um oceano. A Mãe Natal ao ver o Pai Natal assim, perguntou-lhe muito

A Minha Melhor Amiga

Olá, eu sou a Margarida e tenho 11 anos. Tenho uma amiga que se chama Sílvia. Somos amigas desde crianças e ela é também minha prima. A Sílvia tem treze anos, é alta, tem cabelos castanhos-claros e olhos verdes. É muito bonita e simpática. Sempre que preciso de ajuda, é ela quem eu procuro, pois ela ajuda-me nos trabalhos da escola e também quando tenho qualquer problema que não saiba resolver. Quando eu vim para a Escola B.I Fialho de Almeida em Cuba, estava um pouco assustada, pois não conhecia ninguém e vinha de uma escola com poucos alunos e estava cheia de medo de não saber onde ficava a minha sala, a cantina e foi ela que me orientou e ensinou-me onde ficam todos esses lugares. As melhores amigas são as pessoas que nos dão conselhos e que também nos contam segredos. Margarida Nunes 6ºA

A boneca de trapos

Era uma vez, num país distante, um reino em que a filha do rei, a princesa Alice adorava brincar com bonecas como qualquer criança da sua idade. A princesa tinha de ter muitas bonecas, pois fartava-se com frequência de uma e queria logo outra. Felizmente havia no reino uma loja com muitas e bonitas bonecas. Quando se deu a notícia que sua Alteza, a princesa Alice ia comprar uma boneca, as bonecas da loja que eram todas bonitas, comentaram entre si: - Ela vai-me escolher a mim, pois tenho uns sapatos de cristal. - Não! Eu é que tenho o vestido de seda pura. - E eu que tenho uns cabelos tão doirados como o sol… Ao fim da prateleira, chorava silenciosamente, uma bonequinha de trapos, cheia de pó, que mais parecia um espantalho. Mal a princesa saiu do coche acompanhada com a sua dama de companhia, olhou para todas as bonecas e sem pensar duas vezes, apontou logo para o fim da prateleira. E a bonequinha sem beleza alguma, transformou-se na boneca favorita da princesa. Mónica 6º B

Ninguém Nasce Perfeito

Ter saúde e bom aspecto Não há ninguém que não queira Mas ser perfeito por dentro Dá valor a vida inteira. Deficiência é o quê? Alguém que nasceu diferente? Não vejo qual a diferença Se nasceu inteligente. Há sempre uma solução O que é preciso é apoiar Se alguém nasceu sem braços Seremos nós a abraçar. Mais faz aquele que quer Pois quem pode não o faz Anda ao acaso na vida Sem ter rumo, nem ter paz. Devemos estender a mão A quem precisa de ajuda Se vês o que é tão belo Também ouves quem não escuta. Quem não tem inteligência Sabe criticar os outros Sem olhar os seus defeitos Que às vezes não são poucos. Surdo, Mudo, Invisual Não pode ficar para trás Tu podes guiar-lhe os passos, Ouvir, se fores capaz. Quem não ouve é quem não quer Se tem essa habilidade Quem não ouve mais percebe Pois tem mais capacidade. A vida tem tal mistério Pra quem souber desvendar Verá que a natureza Também se pode mudar. Podemos abraçar o mundo Ser irmão do nosso irmão Os olhos de quem não vê Também têm

Para o Menino Jesus

Porque és tu que fazes anos, Porque nos proteges do mal, É a ti, menino Jesus, Que dou uma prenda de Natal. Sei que não queres Que te dê uma bicicleta, Sei que tu preferes Ver voar uma borboleta. Sei que não queres Uma bola para jogar, Eu sei que tu preferes Ver o sol sempre a brilhar. Neste Natal, ó meu menino Jesus Vou dar-te paz, amor e boa vontade, Porque é isso que nos conduz Ao caminho da felicidade. Sininho1

Natal, Prendas e Chocolate!

O Natal está a chegar! Já pensei que vou pedir: Saúde para os doentes, Paz no mundo…. Mas bem cá no fundo Eu quero é uma barbie, E eu uma princesa… E eu tenho uma certeza: O Pai Natal vai trazer-me uma mota, E a mim um cavalo, Para levar à horta. Eu quero muitos chocolates, Por isso, não vou fazer disparates. Porque o Pai Natal é assim, Dá prendas se me porto bem, E eu quero uma para mim! Sininho1

CIDADANIA INTERACTIVA

Publicamos, hoje, um texto elaborado pelos alunos de Peroguarda, na disciplina de Cidadania e Profissionalidade (RVCC) Peroguarda está presente Em qualquer actividade É na área da cultura Com uma geração futura Aprendendo em igualdade. Alunos do RVCC Vão três dias a valer Com seu empenho profundo Do sexto ao décimo segundo Porque gostam de aprender. Entre Marias e Rosa A Inês e a Emília Há também quatro figuras Masculinas e seguras Formamos uma família. Com os professores de Cuba E a sua simpatia Somos muito aplicados Teremos certificados? Esperamos essa alegria. RVCC- Secundário de Peroguarda Cidadania e Profissionalidade