Já Março era passado


Já Março era passado
Já Abril ia terminar
Quando o facho da esperança
Fez outro facho recuar
Nas ruas insuspeitas
De movimentos revolucionários
Dormia a cidade, cândida.
Quem o pleito fez avançar?
Quem ousou dar a esperança
Aos homens deste povo amordaçado?
Chegaram os capitães de Abril
Onde outros não tinham ousado!
Pelos ares troou um não
Ensurdeceu a ditadura, o passado,
Fez-se Abril novo, recomeçado!
Depois de Abril,
Depois do adeus,
Deposto o facho obscuro,
Fez-se Abril luz, renovado.
Vem o dia e vem novo,
Como nunca os homens deste país
O tinham achado.
Com gritos de liberdade,
Com cantos de gáudio, porque Abril nos deu
A certeza de um novo dia,
Um futuro iluminado.

Uma Homenagem à Revolução dos Cravos - FA

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA