A substituição do Pai Natal

A nossa história começa com uma notícia muito triste que chega à casa do Pai Natal, que é a seguinte:
" Por motivos de velhice, o actual Pai Natal tem que escolher um dos seus ajudantes para ser o novo Pai Natal."
O Pai Natal, mal viu esta notícia, caiu estupefacto no seu grande cadeirão de repouso, e disse com um tom se voz que se ouviu no Pólo Norte inteiro:
- Mãe Natal e rena Rodolfo! Venham ter comigo imediatamente!
A Mãe Natal veio a correr com medo que estivesse acontecido alguma coisa, pois o Pai Natal não tem muito o hábito de gritar sem razão nenhuma.
A rena Rodolfo veio com toda a sua calma, pois não se podia cansar muito porque a noite de Natal já estava a chegar e ela nessa noite tinham de correr muito, para entregar com o Pai Natal todos os presentes a horas.
Quando a Mãe Natal e a rena Rodolfo chegaram à sala onde estava o Pai Natal, este estava a chorar muito e a sala parecia já mais um oceano. A Mãe Natal ao ver o Pai Natal assim, perguntou-lhe muito preocupada:
- Então Pai Natal o que se passa?
- Recebi uma notícia da Assembleia de Reformas de Pessoas dos Pais Natais, a dizer que eu estava velho e tinha de me reformar e para o meu cargo iria um ajudante meu que eu escolhesse.
E assim foi o Pai Natal ensinou tudo o que sabia aos seus ajudantes para eles irem treinando porque iria haver uma prova de recrutamento do novo Pai Natal.
Enquanto os ajudantes treinavam, o Pai Natal ia recebendo muito apoio da Mãe Natal e da rena Rodolfo que o levava a fazer longas caminhadas pela floresta, só que o Pai Natal nunca aguentava e acabava sempre a caminhada montado no coitado do Rodolfo.
Finalmente, chegou o dia do recrutamento do novo Pai Natal.
O novo Pai Natal tinha de ser barrigudo, tinha de ter uma barba grande e branca… Mas a única pessoa que tinha essas coisas todas, era o ajudante mais trapalhão e desajeitado, alguma vez visto no Pólo Norte. Então não pode ser ele!
Assim, aos critérios do recrutamento, juntaram-se os de inteligente e eficaz.
Voltaram a escolher, e não havia nenhum ajudante barrigudo, com barba grande e branca, inteligente e eficaz. Então começaram só a escolher pela barba branca e grande e por ser barrigudo, também não havia ninguém; só o trapalhão. Por fim, escolheram por ser eficaz e inteligente, havia um ajudante que era eficaz e inteligente, só que era muito magrinho. Mas como o Pai Natal já estava cansado de ver e escolher ajudantes, disse:
- Ficas tu meu ajudante no cargo de Pai Natal! Muitos Parabéns!
- Mas Pai Natal, ele é muito magrinho para ser seu substituto Pai Natal! – disse a Mãe Natal muito preocupada.
- Não te preocupes, minha querida Mãe Natal, o nosso Chefe de Cozinha trata de tudo. Não é, Chefe?
- Sim! Com certeza, Pai Natal. Eu vou preparar refeições muito calóricas para o novo Pai Natal engordar rapidamente!
- Muito obrigado, Chefe! Mas agora comece a cozinhar já, pois só falta uma semana para a entrega dos presentes e ele vai ter de ter trezentos e vinte sete quilos, tal como eu!
-Não se preocupe, Pai Natal, nós começamos já! Duendes, Cozinheiros, quero que preparem sete quilos de arroz, cinquenta pizzas, rios de chocolate e caramelo, muitas salsichas e paios, lasanhas, batatas fritas, refrigerantes, muitos doces… - disse o Chefe com um grande grito.
- Sim, Chefe – responderam os Duendes e os Cozinheiros em coro.
- Tenho de ter trezentos e vinte e sete quilos e comer aquilo tudo que o Chefe disse?! – perguntou o Pai Natal novo espantado, mas ao mesmo tempo enjoado com tanta comida.
- Sim. Tens de ter trezentos e vinte e sete quilos e comer aquela comida! – responderam o Pai Natal e o Chefe ao mesmo tempo.
Na noite de vinte e quatro para vinte e cinco, lá andava o Pai Natal novo a distribuir os presentes com os seus trezentos e trinta quilos! Até passou três quilos do objectivo! Deve ter adorado a comida do Chefe!
Ana Rita Pereira Almeida Vieira- 6ºA

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA

Ali-Babá e os 40 ladrões

Os Nossos Textos de Inglês - 8º ano, turmas A e B