O Conto Tradicional

Reconto poesia do conto tradicional "Rapunzel"
Rapunzel

A história de Rapunzel

Aqui vos vou contar

Prestai bem atenção

É uma história de pasmar!


Feliz vivia um casal,

Uma filhinha ia ter,

Sua mãe contava os dias

Que faltavam p’ra nascer.


Mas, como todas as grávidas,

Apetites ela tinha,

Cobiçava as abóboras

Do quintal duma vizinha!


Quando o marido tentou

Uma abóbora ir colher,

Logo lhe apareceu a dona,

Uma bruxa de morrer!


Em troca daquela abóbora,

Ela queria a criança

E, caso não lha dessem,

Faria terrível vingança!


O pobre homem, coitado,

Acabou por concordar

E, quando a menina nasceu,

A bruxa a foi buscar.


Rapunzel era seu nome

Numa torre ela vivia

E suas mágoas cantava

Quer de noite, quer de dia.


Era linda como o sol,

Tinha tranças de encantar,

Tão lindas e tão longas

Ao chão conseguiam chegar.


As tranças eram bem fortes,

Por elas a bruxa trepava,

Sempre que à torre subia

E Rapunzel visitava.


Tudo isto um príncipe viu,

Quando por ali passou,

E à torre ele subiu

Assim que a bruxa se afastou.


Rapunzel e o príncipe

Depressa se apaixonaram,

Mas um obstáculo mais

No seu caminho encontraram.


Aquela bruxa malvada

Logo tudo descobriu,

O príncipe ela empurrou

Que da janela caiu.


Um espinho de roseira

No seu olho se espetou

Grande dor ele sentiu

E, de repente, cegou.


Ao reparar nisto tudo,

Rapunzel muito chorou,

Mas uma lágrima sua

O príncipe logo curou!


De raiva a bruxa morreu,

Eles felizes ficaram,

Foram dar a boa nova

E, bem depressa, casaram!

(Versão em verso-5º B)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA