A Maior Flor do Mundo - 5ºB

A Maior Flor Do Mundo


Era uma vez uma menina que se chamava Beatriz. Essa menina era alta, tinha os cabelos encaracolados e loiros e olhos verdes.
Um dia, a menina foi com o pai ao campo. Nesse campo havia uma gata bebé que era branca e tinha os olhos azuis. Ela achou a gatinha tão fofinha que ficou com ela e deu-lhe o nome de Tareca.
Quando a Beatriz lhe estava a dar o leite, a Tareca fugiu e a Beatriz, sem pensar, foi atrás dela e pulou o muro da sua casa.
Andou, andou, andou até que viu um lago e atravessou-o. Depois, foi para a floresta e viu uma flor muito murcha. Voltou para trás para ir buscar água para a flor. Foi, veio, foi, veio, foi, veio e depois, estava tão cansada, que adormeceu. Então, a flor para agradecer o que a menina fez, deixou cair uma pétala para a cobrir.
Os pais estavam muito preocupados com a menina, foram à floresta e, para alegria de todos, encontraram a Beatriz.
No caminho para casa também encontraram a gata Tareca e levaram-na para casa.


Trabalho elaborado por:

- Catarina Simão
- Sofia Português
- Liliana Piriquito
A maior flor do mundo
Era uma vez um menino que era pequeno. Tinha os olhos castanhos, a cara redonda e os cabelos loiros. O menino era alegre, simpático e gostava de ajudar os outros.
Este menino vivia numa aldeia com os pais. A sua casa era pequena e simples e ficava perto de um campo cheio de árvores, flores e muitos bichos. Havia também um rio.
Um dia, o menino foi com o pai ao campo, recolher uma pequena árvore para plantar no seu quintal. Entretanto, o menino apanhou um pequeno escaravelho e colocou-o numa caixa. Quando chegou a casa, o menino abriu-a, o escaravelho fugiu e o menino foi atrás dele. Quando ia atrás do escaravelho, passou por campos muito coloridos, até que encontrou uma flor muito triste e murcha. Ele percebeu que ela precisava de água. Apesar do rio ser muito longe, o menino não hesitou e foi buscar água. Com ela regou a flor que, depois de matar a sede, ficou muito grande. O menino ficou muito cansado e adormeceu. A flor, com uma das suas pétalas, tapou o menino.
Os pais, muito preocupados, foram ao campo, encontraram o filho e levaram-no para casa, muito contentes, por ele estar bem. O menino contou toda a sua história e a aldeia ficou muito orgulhosa por o menino se preocupar com a natureza.
Ao longe, via-se a flor que abanava suavemente com o vento, parecendo querer agradecer àquele menino que lhe salvara a vida.

Ana Fraião
Tiago Sepúlveda

A maior flor do mundo
Era uma vez uma menina, muito pequenina, chamada Margarida. Ela tinha uns olhinhos azuis que brilhavam como o mar, e um cabelo loiro encaracolado, tão longo como raios de sol.
Ela e o seu pai andavam a explorar o campo e, de repente, a menina encontrou uma joaninha, tão linda que parecia pintada à mão e resolveu guardá-la numa caixinha de fósforos.
Quando o céu começou a escurecer, ela e o pai foram para casa. Quando chegaram, a Margarida contou à sua mãe que tinha encontrado uma joaninha no campo.
Então abriu a caixa para mostrar à mãe a sua joaninha e ela fugiu. A Margarida foi atrás dela para a apanhar, saltando o muro do quintal!
Correndo, foi encontrar um campo cheio de flores lindas, muito grandes e coloridas, mas lá bem no fundo havia uma única flor murcha, sem cor e caída sobre o chão.
Assim que ela a viu, ficou olhando para a pobre florzinha, até que se lembrou que, no caminho, tinha passado um lago onde poderia ir buscar água para a flor. Ela foi, ela veio, ela foi, ela veio, ela foi e, quando regressou pela última vez, viu uma flor gigante, como nunca tinha visto antes. A Margarida estava tão cansada que se deixou dormir ao lado da flor. Esta, para lhe agradecer, virou-se para a menina, fazendo-lhe sombra, e deixou cair uma das suas pétalas, para a cobrir.
Os pais, muitos preocupados, viram que a menina tinha deixado as escadas encostadas ao muro e foram à procura dela.
Quando a encontraram, estava ela dormindo, coberta por uma pétala daquela flor gigante.
Eles voltaram todos para casa e, no caminho, encontraram a joaninha e fizeram-lhe adeus.
Quando chegaram, estava uma multidão à espera da menina, para a aplaudir, pelo seu gesto para com a Natureza.

Claire Cardeira Sónia Rato

A Maior Flor do Mundo
Era uma vez um menino chamado José, que vivia numa aldeia muito linda chamada Kidflor, onde havia muitas flores.
Uma delas, estava sozinha no cimo de uma montanha, sem água e sem amigas. Um dia, o José, de manhã cedo, decidiu aventurar-se por aquelas montanhas fora; andou… andou… e… andou… até que encontrou a tal flor muito murcha de sede e de solidão. Decidiu ir buscar água, regou… regou… regou… e a flor cresceu… cresceu… cresceu.
A flor e o José ficaram tão amigos, que ele acabou por adormecer nas pétalas dela.
Ao amanhecer, o José foi para casa e, quando chegou, contou tudo aos pais que estavam muito preocupados com ele.
Passados alguns dias, o José sentiu o chão a tremer, espreitou pela janela do quarto e disse:
-Flor, como é que vieste parar aqui?
-Quando senti a tua falta, decidi procurar-te. Sabes, a vida sem amigos é mesmo muito triste! Senta-te nas minhas pétalas e conta-me uma história! – pediu a flor.
Enquanto o José contava a história, a flor subiu… subiu… subiu… até que chegaram a um mundo diferente, as nuvens. Encantados com o que dali podiam ver, assim que desceram, foram logo contar às pessoas todas da aldeia. Estas também quiseram experimentar como era viver nas nuvens e apanharam a boleia da flor para lá.
Todos ficaram muito felizes a viver nas belas nuvens, donde todos os dias avistavam a aldeia Kidflor e aonde regressavam, de tempos a tempos, quando as saudades apertavam.

Lídia Almeida
Luís Plácido

A maior flor do mundo

Era uma vez um rapaz que tinha apenas dez anos.
Vivia numa casa com os pais, era muito aventureiro e gostava imenso de passear nos campos.
Um dia, teve curiosidade e foi mais longe que o habitual. Ao fim de muito andar, encontrou um papagaio em cima de uma árvore e este, assim que avistou o menino, desceu para o seu ombro e foram caminhando os dois, até que encontraram um vale que parecia estar despido. Decidiram então ir explorar o vale, e encontraram um grande montão de areia e uma flor, que estava quase a morrer. O menino decidiu logo ir buscar água a uma fonte que havia ali perto e, enquanto caminhava, encontrou um balde que lhe fez muita falta para levar a água. Quando o balde ficou cheio, regressou para regar a flor, deitando a água a pouco e pouco e esperou. Passados alguns minutos, a flor estava muito grande e cheia de vida.
Ao anoitecer, muito cansado, o menino adormeceu junto da flor com o papagaio a seu lado. A flor, vendo que o menino e o papagaio estavam a dormir, levou-os para casa, numa das suas pétalas. Os pais, que já estavam preocupados, ficaram muito descansados por terem o filho de volta.
No dia seguinte, depois das pessoas da aldeia se terem apercebido do seu bonito gesto, o menino e o papagaio foram entusiasticamente aplaudidos.
Diogo Madeira
Gonçalo Casaca
João Martins
A Maior Flor do mundo


Era uma vez um menino chamado Miguel.
Morava com os pais e gostava de andar no campo. Um dia, viu uma flor murcha e deu-lhe de beber e ela cresceu muito, graças ao carinho que o menino teve para com ela.
No dia seguinte, os pais do menino descobriram e ficaram orgulhosos.
Falaram com os vizinhos e resolveram também eles ajudar a natureza: com o esforço de todos os montes desertos e secos à volta da aldeia em breve ficaram verdes e frondosos.

Fábio Durão

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA