Ainda a Maior Flor do Mundo

No passado ano lectivo, os alunos do 5º A, produziram textos que não chegámos a publicar. Justiça seja feita - ei-los:

A maior flor do mundo

Numa aldeia, um menino chamado Miguel estava a brincar perto do lago. De repente, avistou um sítio deserto e pensou, indeciso:
-Vou ou não vou?
Mas tomou coragem e foi. Ao dirigir-se para lá viu que tudo era um deserto. Miguel achou extraordinário. Via-se um lago (que ele via, de longe, desde que nasceu) e decidiu afastar-se mais um pouco de casa. Ao ver tantas coisas maravilhosas, pensou que estava noutro mundo.
Ao subir uma colina viu que estava uma coisa esquisita. Que coisa era aquela? Ao chegar lá a cima, viu uma coisa normal: uma flor. Depois, achou que ela estava a morrer e que precisava de água. Foi ao lago encher a sua mão de água para dar de beber à flor, mas quando chegou lá, só tinha três pingas na mão. Foi ao lago vinte e cinco vezes, até que a flor já dava sombra de tão alta que era. O Miguel estava tão cansado, que adormeceu.
Os pais, em casa já estranhavam a demora do filho e começaram a preocupar-se. Decidiram ir à procura dele mas não o encontravam. A vizinhança toda andava à procura do rapaz, até que avistaram a mesma coisa que ele tinha avistado antes e dirigiram-se para lá. A mãe quando viu o seu filho deitado numa colina, gritou:
-O meu filho está ali!
Ao ouvir os gritos da mãe, o rapaz foi a correr para os braços dela. O pai, ao aproximar-se, disse, comovido:
-Tão pequenino e com um coração tão grande, tu salvaste a Natureza, és o nosso herói!!!
Catarina Guerreiro

A Maior Flor do Mundo

Num dia de sol, o João e o pai decidiram ir ao campo para ir buscar uma árvore. Aí, o João viu uma flor grande e bonita. Mas ficou mais encantado com um bicho que ali passou, e apanhou-o. Quando regressaram a casa, o menino foi dar o bicho à sua mãe, mas ele fugiu. Então, decidiu ir atrás dele, mas se o queria apanhar tinha de passar um grande monte de lixo, e por máquinas que estavam a derrubar as árvores para fazer casas enormes. Porém, ele não teve medo e lá foi atrás do bicho. Mas chegou a uma certa altura em que já não consegui vê-lo.
Então, viu uma borboleta que por ali passava, e decidiu ir apanhá-la. Correu, correu muito, até que encontrou a mesma flor que tinha visto no campo com o seu pai, mas ele ficou muito triste porque a flor estava murcha. Decidiu ir àquele rio ao pé da sua casa e foi buscar água e regá-la, e isto aconteceu por três vezes. Mas a flor não crescia e então, ele foi chamar o seu pai a casa. Como o pai não estava, foi procurá-lo. Andou, andou e andou até que chegou à loja do senhor Nicolau, que vendia produtos para árvores e esse tipo de coisas, e disse:
-Pai, pai tens de vir comigo à floresta, rápido!
-Mas porquê?- perguntou o pai.
-Quando chegares lá, verás, agora anda.
E lá foram os dois para a floresta. Quando chegaram ao pé da flor, o João disse:
-Vês pai, a flor que nós vimos quando fomos ao campo, está a morrer.
-Pois nisso eu já reparei, mas o que queres que faça?
-Temos de a salvar.
Então o pai tirou do bolso um produto, que tinha comprado na loja do senhor Nicolau, e deitou três gotas. Depois disse:
-João, vamos buscar água ao rio e depois verás como ela fica.
Então foram ao rio, e quando voltaram, deitaram a água na planta. De repente, ela começou a crescer e ficou enorme, com grandes pétalas amarelas. O rapaz João disse:
-Vamos avisar os outros da aldeia para virem ver.
-Boa ideia - concordou o seu pai.
Assim fizeram. E da aldeia, via-se ao longe, a grande flor, que o pai e o João fizeram crescer.
Pedro Cascalheira

A Maior Flor do Mundo


Há algum tempo numa pequena aldeia, havia um menino chamado Luís que vivia com a sua família. Como era muito interessado pela Natureza, saiu de casa sem os pais saberem do sucedido.

O Luís era muito aventureiro e partiu à aventura. Passou o rio e foi ter a uma enorme floresta com árvores muito altas e verdes e com flores maravilhosas, mas elas iam rareando cada vez mais e mais e mais …

Até que ao longe viu uma pequena flor. Parecia que já tinha estado ali com ela e ele lembrou-se que… Há uma semana, ele tinha lá estado com o pai e que naquele buraco ali ao lado estava uma árvore. E como viu que era ela e que estava muito murcha e quase a morrer, fez novamente o percurso até ao rio vinte vezes. A planta cada vez ia crescendo mais, até que já cheio de cansaço, ele adormeceu. A flor, em gesto de recompensa por tudo que ele lhe fizera, deixou cair lhe uma pétala que o cobriu.

Os pais, muito tristes, foram procurá-lo até àquela flor gigante, como diziam. E quando lá chegaram, lá o encontraram. Felizes, voltaram para casa e toda a aldeia ficou maravilhada com o feito daquele rapazito aventureiro!

Laura Galinha

A Maior Flor do Mundo


Numa bela tarde de Sábado, numa pequena aldeia, um menino com sete anos de idade, tentava apanhar um besouro, mas o insecto com medo, voou para fora da aldeia.

O rapaz subiu o muro e foi atrás dele, onde encontrou um grande rio, mas como tinha um rio perto da sua casa, isso não lhe trazia nada de novo, para quem dizia que ali era ”Marte”.

O besouro voou pelo campo fora, e o rapaz a tentar apanhá-lo. Viram árvores muito antigas, flores brancas, animais pequenos, até que encontrou um deserto, mas o rapaz não ficou muito contente quando avistou uma flor, era muito bonita mas estava murcha. Sem hesitar, voltou de novo ao rio para buscar água para dar a flor, porém, quando chegou junto dela, apenas levava três gotas, devido às suas mãos serem pequenas. Como estava decidido a ajudar a flor, chegou a ir buscar água cerca de vinte e cinco vezes.

A flor cresceu e ficou ENORME, e o rapaz ficou feliz, mas muito cansado. Então foi deitar-se na sua sombra e ela agradeceu-lhe a sua solidariedade, dando-lhe uma pétala sua para o tapar.

Os pais do menino ficaram muito tristes, pois já passava da hora do seu filho chegar a casa. Preocupados, foram chamar a vizinhança para ajudar a procurar o menino. Saíram de casa, pararam e avistaram uma magnífica flor, era grande, colorida e muito bonita. Os pais do rapaz quando viram a flor pensavam logo no rapaz que adorava a natureza. Foram ao pé da flor e encontraram-no, tapado com uma pétala. Abraçaram o rapaz com um abraço profundo e ficaram muito felizes por estar tudo bem.

O menino contou tudo e disse que tinha sido ele o salvador daquela enorme flor. Todos ficaram felizes pelo rapaz que ficou conhecido pela sua proeza.

Joana Parreira

A Maior Flor do Mundo


Numa bela tarde de Sábado, numa pequena aldeia, um menino com sete anos de idade, tentava apanhar um besouro, mas o insecto, voou para fora da aldeia.

O rapaz subiu o muro e foi atrás dele. Encontrou um grande rio, mas como tinha um perto da sua casa, isso não lhe trazia nada de novo, para quem dizia que ali era ”Marte”.

O besouro voou pelo campo fora e o rapaz a tentar apanhá-lo. Viram árvores muito antigas, flores brancas, animais pequenos, até que encontrou um deserto. Porém, o rapaz não ficou muito contente, quando avistou uma flor muito bonita, mas estava murcha.

Sem se hesitar, voltou de novo ao rio para buscar água para dar a flor, mas quando chegou junto dela, só levava três gotas, devido às suas mãos serem pequenas.

Como estava decidido a ajudá-la, chegou a ir lá cerca de vinte e cinco vezes.

A flor cresceu e ficou ENORME. O menino ficou feliz, mas muito cansado. Então, foi deitar-se na sombra da flor e ela agradeceu-lhe a sua solidariedade para com ela, e dando-lhe uma pétala sua, para o tapar.

Os pais do menino, ficaram muito tristes, pois já passava da hora do seu filho chegar a casa e preocupados foram chamar a vizinhança para ajudar a procurar o menino, porque naquela aldeia não havia muita segurança.

Saíram de casa, todos à procura do mesmo rapaz. Pararam e avistaram uma magnífica flor: era grande, colorida e muito bonita. Os pais do rapaz quando a viram, pensavam logo no rapaz, pois adorava a Natureza.

Foram ao pé da flor e encontraram o rapaz, tapado com uma pétala. Abraçaram-no e ficaram muito felizes.

O rapaz contou tudo e disse que tinha sido ele a salvar a flor. Todos ficaram felizes pelo rapaz que ficou conhecido pelo “herói da Natureza” daquela pequena aldeia.

Joana Parreira

A Maior Flor do Mundo


Era uma vez, um menino chamado João que vivia numa aldeia perto do campo chamada Aldeia das Maravilhas. O rapaz montado na carrinha do pai ia gritando:

-Vou atravessar o Mundo inteiro!

Mas ninguém acreditou.

Naquele dia, a sua mãe fazia anos, por isso, o João e o pai foram ao campo apanhar uma flor. Perto, estava outra flor na qual ele ficou encantado.

Enquanto o pai colocava cuidadosamente a flor na carrinha, ele maravilhou-se com uma joaninha, pensando “Esta joaninha é tão linda, vou colocá-la na minha caixa para depois oferecer à minha mãe”.

Quando chegaram a casa, o pai ofereceu a flor e o João tentou dar a joaninha, mas a mãe não lhe ligava.

Ao abrir a caixa, reparou que a joaninha lhe queria dizer algo. Então pegou nela e disse-lhe:

-O que me queres dizer?

A joaninha começou a voar e o João a acompanhá-la.

Passaram por as obras, pelo rio, por várias hortas até que chegaram a uma flor que estava murcha e que por acaso era a mesma que ele encontrou com o seu pai.

Disse para ele próprio:

-Tenho de ir rapidamente ao rio buscar água para regar esta flor!

Assim o disse e assim o fez. Antes de regar a flor, esta tinha cerca de cinquenta centímetros de comprimento. Depois de regada começou a crescer, a crescer até que ficou com quinze metros de altura.

Entretanto, os seus pais deram pela sua falta e começaram a ficar muito preocupados com a sua demora. Então partiram na carrinha para o sítio onde o pai tinha estado com o João e quando chegaram, lá estava ele encostado à flor, a dormir profundamente. A mãe foi a correr para ele, acordou-o e disse-lhe:

-Foi a melhor prenda de toda a minha vida, ter-te encontrado são e salvo!

Quando chegaram à aldeia repararam que todos os habitantes estavam encantados com o que o João tinha feito.

Pedro Varela

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA