Aladino e a lâmpada mágica

Aladino era um rapaz muito preguiçoso que vivia com a sua mãe, pois seu pai já tinha falecido.

Um dia, um mercador rico disse ser seu tio, e prometeu-lhe torná-lo num bom comerciante. Partiram então numa viagem. Ao chegar ao local pretendido, o homem disse-lhe:

-Aladino, agora vou dizer umas palavras mágicas e abrir-se-á uma passagem secreta. Ao fundo do subterrâneo, verás uma lâmpada velha, pega-lhe e traz-ma.

-Está bem, tio.

O rapaz desceu ao subterrâneo e viu muitas árvores de fruto. Continuou até que viu a lâmpada, pegou-lhe e levou-a. Porém, a caminho decidiu trazer uns frutos.

Quando já se via luz, Aladino tentou subir para terra, mas não conseguiu e disse ao tio:

-Tio, ajude-me a subir.

-Está bem, mas primeiro dá-me a lâmpada.

-Primeiro, ajude-me, tio.

-Não me dás a lâmpada, ficarás aí!

Triste, Aladino permaneceu durante algum tempo debaixo do solo. Então esfregou um anel que encontrara quando desceu ao subterrâneo e dele saiu, um génio que lhe disse que podia conceder alguns desejos.

Aladino, satisfeito, pediu-lhe:

-Génio, faz-me sair deste local, e leva-me até casa.

Quando chegaram a casa, o rapaz disse à sua mãe para entregar aqueles belos frutos à princesa. A sua mãe assim o fez. Quem adorou a simpatia foi o rei, que disse à mãe de Aladino para o chamar. Ao vê-lo, o rei disse-lhe:

-Aladino, pelo teu gesto, eu te concedo a mão da minha filha em casamento, mas com uma condição, tens de conseguir construir num ano, um palácio mesmo no coração de África.

-Está bem - exclamou o rapaz, entusiasmado.

Aladino esfregou o anel e pediu ao Génio:

-Génio, constrói um palácio mesmo no coração de África.

Ele assim o fez. Aladino e a princesa casaram e foram morar para o palácio.

Quem não gostou de saber desta notícia, foi o seu falso tio que era um feiticeiro, decidiu disfarçar-se de vendedor de lâmpadas. Foi para a cidade e começou a gritar bem alto:

-Trocam-se lâmpadas velhas por novas!!!!!

Quando a princesa isto ouviu, decidiu trocar a lâmpada, que ela não sabia que era mágica, por uma lâmpada nova.

Ao apanhá-la, o feiticeiro fugiu e quando se escondeu, esfregou a lâmpada e disse:

-Génio, pega no palácio do Aladino e leva-o para a Índia.

Aladino, quando chegou a casa e viu que não estava lá a princesa, esfregou o anel e disse:

-Génio, diz-me onde está a princesa.

Quando este lhe disse onde se encontrava a princesa, ele partiu e foi ter com ela.

De noite, quando andava a passear pelo bosque, ouviu alguém chorar:

-Larga-me, larga-me.

Aladino correu até à tenda onde se encontrara a sua esposa e quando viu o feiticeiro, matou-o com o seu punhal.

Felizes, voltaram para África com seu grande palácio, onde viveram descansados o resto da vida.


Pedro Cascalheira

Joana Parreira

Joana Cavaco

Laura Boga

5º A

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA