Ali-Babá e os 40 ladrões

Era uma vez dois irmãos, um era rico e chamava-se Cassim, pois tinha casado com uma mulher muito rica. O outro era pobre e chamava-se Ali-Babá.

Ali-Babá passava os dias na floresta a cortar madeira, para depois ir vendê-la.

Um dia, quando estava a cortar madeira, apareceu um grupo de homens, eram quarenta. Ele percebeu rapidamente qual era o chefe daquele grupo, pois o aspecto físico do homem não enganava ninguém.

O chefe do grupo pronunciou estas palavras” abre-te sésamo”. Nisto, as pedras abriram-se e os quarenta homens entraram.

Ali-Babá pôs-se em cima de uma árvore e assim que os ladrões saíram, ele disse as palavras que o chefe tinha dito e em seguida entrou lá para dentro, trazendo tudo o que pôde, desde dinheiro a ouro.

O seu irmão descobriu que ele estava mais rico do que ele e então foi falar com Ali-Babá. Este contou-lhe onde encontrar todo o dinheiro e ouro, dizendo também quais as palavras que devia dizer. Cassim foi até à gruta, mas esqueceu-se das palavras mágicas. Entretanto, apareceram os quarenta ladrões que logo o mataram.

Ali-Babá, preocupado com o seu irmão foi ver o que se passava. Encontrou-o pendurado numa das quatro paredes da gruta. Levou-o para casa da sua cunhada e a escrava do Ali-Babá, Morjiana foi buscar um sapateiro e vendou-o até chegar a casa de Cassim, cosendo o corpo do falecido.

Os ladrões fizeram várias tentativas para descobrir qual a casa de Cassim, mas Morjiana era mais esperta que eles e todos os que tentaram, morreram, excepto um que este foi tentar dar com a casa de Ali-Babá.

Depois, o chefe fardou-se de comerciante e os ladrões esconderam-se dentro de trinta e oito potes, um dos quais continha óleo.

Após o plano, os ladrões foram a casa de Ali-Babá. Porém, a escrava matou-os a todos com óleo a ferver. No dia seguinte Morjiana salvou Ali-Babá, matando o chefe dos ladrões. Morjiana deixou de ser escrava, casou com o filho de Ali-Babá e viveram felizes para sempre.

Inês Costa

Mariana Touregão

Diogo Galandim

Ruben Boteta

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Recontos - o conto tradicional narrado pelos alunos do 6ºA